São Frei Galvão.com - Site do 1º Santo nascido no Brasil
São Frei Galvão, 1º Santo nascido no Brasil




Palavra do Senhor
Por que este medo, gente de pouca fé? Então, levantando-se, deu ordens aos ventos e ao mar, e fez-se uma grande calmaria.
(Mateus 8,26)

Todo o que nele crer não será confundido[...] Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
(Romanos 10,11.13))

Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.
(Marcos 16,15)

Antes bem-aventurados aqueles que ouvem a palavra de Deus e a observam!
(Lucas 11,28)

Sede cumpridores da palavra e não apenas ouvintes; isto equivaleria a vos enganardes a vós mesmos.
(Tiago 1,22)

O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é são, todo o corpo será bem iluminado; se, porém, estiver em mau estado, o teu corpo estará em trevas. Vê, pois, que a luz que está em ti não sejam trevas.
(Lucas 11,34-35)

Ora, o fruto da luz é bondade, justiça e verdade. Procurai o que é agradável ao Senhor, e não tenhais cumplicidade nas obras infrutíferas das trevas; pelo contrário, condenai-as abertamente.
(Efésios 5,9-11)

Não temais, pequeno rebanho, porque foi do agrado de vosso Pai dar-vos o Reino.
(Lucas 12,32)

Sede contentes e agradecidos ao Pai, que vos fez dignos de participar da herança dos santos na luz. Ele nos arrancou do poder das trevas e nos introduziu no Reino de seu Filho muito amado, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.
(Colossenses 1,12-14)

Dei-lhes a tua palavra, mas o mundo os odeia, porque eles não são do mundo, como também eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas sim que os preserves do mal.
(João 17,14-15)

Em verdade, em verdade vos digo: o que pedires ao Pai em meu nome, ele vo-lo dará. Até agora não pedistes nada em meu nome. Pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja perfeita.
(João 16,23-24)

O Senhor torna-se refúgio para o oprimido, uma defesa oportuna para os tempos de perigo. Aqueles que conheceram vosso nome confiarão em vós, porque, Senhor, jamais abandonais quem vos procura.
(Salmo 9,10-11)

Nem eu te condeno. Vai e não tornes a pecar.
(João 8,11)

Feliz aquele cuja iniquilidade foi perdoada, cujo pecado foi absolvido. Feliz o homem a quem o Senhor não argúi de falta, e em cujo coração não há dolo.
(Salmo 31,1-2)

Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. Sim Pai, eu te bendigo, porque assim foi do teu agrado.
(Mateus 11,25-26)

O espírito é que vivica, a carne de nada serve. As palavras que vos tenho dito são espírito e vida.
(João 6,63)

Vinde à parte, para algum lugar deserto, e descansai um pouco.
(Marcos 6,31a)

Só em Deus repousa a minha alma, é dele que me vem o que eu espero. Só ele é meu rochedo e minha salvação, minha fortaleza: jamais vacilarei.
(Salmo 61,6-7)

Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado; porque não crê no nome do Filho único de Deus.
(João 3,17-18)

Quem não está comigo, está contra mim; quem não recolhe comigo, espalha.
(Lucas 11,23)

Examinai-vos a vós mesmos, se estais na fé. Provai-vos a vós mesmos. Acaso não reconheceis que Cristo Jesus está em vós? [...] Mas espero que reconhecereis que ela não é contra nós.
(Coríntios 13,5-6)

Se alguém tiver sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva.
(João 7,37b-38)

Ó Deus, vós sois o meu Deus, com ardor vos procuro. Minha alma está sedenta de vós anela como a terra árida e sequiosa, sem água.
(Salmo 62,2)

Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim.
(João 14,1)

Por que te deprimes, ó minha alma, e te inquietas dentro de mim? Espera em Deus, porque ainda hei de louvá-lo: ele é minha salvação e meu Deus.
(Salmo 41,12)

Não julqueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.
(Lucas 6,37)

Assim, és inescusável, ó homem, quem quer que sejas, que te arvoras em juiz. Naquilo que julgas a outrem, a ti mesmo te condenas; pois tu, que julgas, fazes as mesmas coisas que eles.
(Romanos 2,1)

Bem-aventurados os que têm um coração de pobre, porque deles é o Reino dos céus!
(Mateus 5,3)

Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados!
(Mateus 5,4)

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra!
(Mateus 5,5)

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados!
(Mateus 5,6)

Se fordes zelosos do bem, quem vos poderá fazer mal? E até sereis felizes, se padeceres alguma coisa por causa da justiça! Portanto, não temais as suas ameaças e não vos turbeis. Antes santificai em vossos corações Cristo, o Senhor.
( I Pedro 3,13-15a)

Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórida!
(Mateus 5,7)

Haverá juízo sem misericórdia para aquele que não usou de misericórdia. A misericórida triunfa sobre o julgamento.
(Thiago 2,13)

Bem-aventurados os puros de coração, porque verão Deus!
(Mateus 5,8)

Tenho esperança em Deus, como também eles esperam, de que há de haver a ressurreição dos justos e dos pecadores. Por isso, procuro ter sempre sem mácula a minha consciência diante de Deus e dos homens.
(Atos 24,15-16)

Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus!
(Mateus 5,9)

Observa o homem de bem, considera o justo, pois há prosperidade para o pacífico.
(Salmo 36,37)

Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus!
(Mateus 5,10)

Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim.
(Mateus 5,11)

O Deus de toda a graça, que vos chamou em Cristo à sua eterna glória, depois que tiverdes padecidos um pouco, vos aperfeiçoará, vos tornará inabaláveis, vos fortificará. A ele o poder na eternidade! Amém.
( I Pedro 5,10-11)

Em verdade, em verdade vos digo: antes que Abraão fosse, eu sou.
(João 8,58)

Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade.
(Hebreus 13,8)

Daí, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.
(Mateus 22,21)

Tu és digno Senhor, nosso Deus, de receber a honra, a glória e a majestade, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade é que existem e foram criadas.
(Apocalipse 4,11)

Não temas! Eu sou o Primeiro e o Último, e o que vive. Pois estive morto, e eis-me de novo vivo pelos séculos dos séculos; tenho as chaves da morte e da região dos mortos.
(Apocalipse 1,17l-18)

A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós.
(João 20,21)

Creste, porque me viste.Felizes aqueles que creêm sem ter visto!
(João 20,29)

Este Jesus vós o amais, sem o terdes visto; credes nele, sem o verdes ainda, e isto é para vós a fonte de uma alegria inefável e gloriosa, porque vós estais certos de obter, como preço de vossa fé, a salvação de vossas almas.
( I Pedro 1,8-9)

Se, porém, andamos na luz como ele mesmo está na luz, temos comunhão recíproca uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.
( I João 1,7)

Meu filho, coragem! Teus pecados te são perdoados.
(Mateus 9,2c)

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é que me ama.
(João 14,21a)

Eis como deveis rezar: Pai Nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.
(Mateus 6,9-10)

Considerai com que amor nos amou o Pai, para que sejamos chamados filhos de Deus. E nós o somos de fato.
( I João 3,1)

Deus disse: honra teu pai e tua mãe; aquele que amaldiçoar seu pai ou sua mãe será castigado de morte.
(Mateus 15,4)

Filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor; porque isto é justo. O primeiro mandamento acompanhado de uma promessa é: Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas longa vida sobre a terra.
(Efésios 6,1-3)

Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos. Eis que estais prevenidos.
(Mateus 24,24-25)

Quem é mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse é o Anticristo, que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho não tem o Pai. Todo aquele que proclama o Filho tem também o Pai.
( I João 2,22-23)

Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não poderá entrar no Reino de Deus. O que nasceu da carne é carne, e o que nasceu do Espírito é espírito.
(João 3,5-6)

Mas todos aqueles que o receberam (Jesus), aos que creêm no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas sim de Deus.
(João 1,12-13)

Dou-vos um novo mandamento: Amai-vos uns aos outros. Como eu vos tenho amado, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros.
(João 13,34)

A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor recíproco; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu toda a lei. [...] A caridade não pratica o mal contra o próximo. Portanto, a caridade é o pleno cumprimento da lei.
(Romanos 13,8.10)

E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
(Romanos 5,5)

Quando Jesus viu sua mãe e perto dela o discípulo que amava, disse à sua mãe: Mulher, eis aí teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E dessa hora em diante o discípulo a levou para a sua casa.
(João 19,26-27)

Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser.
(João 2,5)

Eis que venho em breve, e a minha recompensa está comigo, para dar a cada um conforme as suas obras. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Começo e o Fim.
(Apocalipse 22,12-13)


Projeto: "Imortais de Guaratinguetá"

       Este link destina-se a mostrar as personalidades Guaratinguetaenses que se destacaram no cenário nacional e internacional.
Rodrigues Alves

     Francisco de Paula Rodrigues Alves (também conhecido como Rodrigues Alves), advogado, foi o 5º presidente do Brasil, que governou entre 1902 e 1906.
     Disputou nova eleição em 1919 e foi o vencedor, mas não assumiu o poder, morrendo de gripe espanhola em 16 de janeiro do mesmo ano.

O governo Rodrigues Alves
     Rodrigues Alves, foi empossado na Presidência da República em 15 de novembro de 1902. Fazendeiro de café em Guaratinguetá (SP), ocupou a chefia do executivo paulista entre 1900 e 1902, período em que patrocinou o plano de combate à febre amarela no estado, aplicado por Emílio Ribas e Adolpho Lutz, com base na teoria culicidiana de Finlay.
     Quando assumiu a chefia do governo federal, o país vivia uma conjuntura econômica favorável, face à recuperação dos preços do café no mercado internacional e à austera política de saneamento financeiro executada por seu antecessor, Campos Sales, seguindo a linha ditada pelos Rothschild, principais credores da dívida externa brasileira.
     A facilidade para obter novos créditos no exterior, permitiu que Rodrigues Alves tornasse a contrair dívidas junto a estes mesmos banqueiros para financiar a remodelação urbanística e o saneamento da capital federal, pontos básicos de seu programa de governo. As condições sanitárias da cidade, que desde meados do século anterior convivia com sucessivos surtos de doenças infecciosas, vinham ameaçando a política de estímulo a imigração, indispensável para o suprimento de mão-de-obra aos setores mais dinâmicos da economia brasileira após o declínio do trabalho escravo.
     Ao final do seu mandato, concluído em novembro de 1906, o Rio de Janeiro já apresentava muitos dos aspectos de uma cidade remodelada, além de estar livre da febre amarela sob a forma epidêmica. Pode-se dizer também que a peste bubônica estava sob controle, através do combate aos ratos e da soro-vacinação. A Revolta da Vacina impediu que a vacinação anti-variólica fosse obrigatória e um novo surto da doença surgiria em 1908.
     Foi durante sua gestão que o Brasil anexou o território do Acre (hoje Estado do Acre), após um acordo com a Bolívia, negociado pelo Barão do Rio Branco, e que determinava que o Brasil pagaria àquele país dois milhões de libras esterlinas e construiria a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, por onde seria escoada a produção de borracha.
     O Governo Rodrigues Alves enfrentou ainda uma grave crise do café, ocasionada pela superprodução e queda dos preços do produto no mercado. Para enfrentar essa crise, foi assinado, em março de 1906, o Convênio de Taubaté, onde os governos estaduais se comprometiam a comprar o excedente da produção para garantir os preços. Este acordo contribuiria para o reendividamento do Brasil, uma vez que para cumpri-lo, os estados recorreram a empréstimos externos.
     Rodrigues Alves voltaria a ocupar a presidência da República no quadriênio de 1918 – 1922 se não tivesse contraído a gripe espanhola e morrido antes de poder assumir o cargo. Em seu lugar, tomou posse o vice, Delfim Moreira.

     Fonte:
http://www2.prossiga.br/ocruz/trajetoria/diretoriageral/31campanhas/governoralves.htm